Pages

sábado, 11 de novembro de 2017

Movimentos

"Movimentos"
palavras que florescem pós manuel bandeira

"Se nua, teus olhos
ficam nus também:
teu olhar, mais longe,
mais lento, mais liquido
[...]
me sorri tu'alma
nua, nua, nua"


segunda-feira, 30 de outubro de 2017

[C]orpo


Teus mistérios instalam curiosidade
que descubro no teu beijo
e descobrir-te cria poesia em mim


terça-feira, 24 de outubro de 2017

Bagunça

Procuro descanso pra confusão da minha mente nas minhas palavras
é muita inquietude, são pensamentos passando, 
é criação, brasa e abismo...
é bagunça, então sou eu.

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Nua


Nua nasceu da necessidade de entender
Porque postando "Crua" eu me deixei ali, transbordei muito de mim nas linhas e me sobrou leveza. Mas também uma vulnerabilidade que impulsionou uma maior necessidade de me expressar



quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Crua

Crua é aquele instante que resume
É a tentativa de explicar o que sou, a evidência da minha tristeza e confusão...um retrato claro da crise constante que assombra meu existir.
Porque eu me questiono, me reinvento, me desconheço. Sou.

domingo, 8 de outubro de 2017

Igual em essência


Minhas emoções não aguentam mais viver somente dentro de mim e, ás vezes, resolvem se mudar para essas colagens e poeminhas doidinhos feito por culpa da confusão ou da saudade.

terça-feira, 3 de outubro de 2017

meu corpo é sempre brasa e abismo

Estou trabalhando em um projeto pessoal da destruição (do livro "Passeio", de Renato Rezende) para construção do meu caderninho, para exteriorização do meu íntimo. Essa é uma das colagens, lê-se poema, que estou tomando coragem para compartilhar: